Onde encontrar a proteína vegetal?

Proteína vegetal– Onde encontrar a proteína vegetal?
Por intuição ou prevenção, as pessoas têm buscado uma alternativa alimentar, comendo mais frutas, verduras, legumes, e deixando de lado as carnes. Fica, porém, o questionamento: E a PROTEÍNA? É verdade que ela constrói o nosso corpo; é como os tijolos de uma casa. Sem eles, a casa não fica em pé. O errado é estabelecer uma necessidade protéica diária e pensar que o ideal é andar com uma tabela do lado para equilibrar as calorias.
As carnes contêm proteínas em excesso, de péssima qualidade, impróprias para o ser humano (Vide Saúde Integral nº 4). Elas sobrecarregam o aparelho digestivo, causando doenças, primeiro neste (prisão de ventre, gases, colite, gastrite, etc.), e depois em qualquer parte do corpo, que, bombardeado de proteína, vai necessitar de maior quantidade de vitaminas e sais minerais.
Uma dieta hiperprotéica rouba a energia, aumenta o colesterol, provoca doenças cardiovasculares, circulatórias, de memória, dilata o estômago (por isso, quando se deixa de ingerir excesso de proteína, ou seja, as carnes, fica uma sensação de fome após as refeições) e provoca câncer. Incluem-se nesta relação tanto a carne branca quanto a vermelha.

Os venenos que a proteína animal esconde
Em 1990, apenas o câncer de intestino, o terceiro que mais mata no mundo, havia sido relacionado à proteína da carne. De lá para cá, também foram ligados ao consumo da carne o de boca, faringe e o de estômago (campeão de mortes no Brasil). Hoje se comprova também sua relação com o câncer de seio, pâncreas, próstata, útero, etc.
Existe um elo entre a proteína animal e a proliferação de células malignas, embora não se saiba bem o porquê. Suspeita-se ser a gordura que dificulta a digestão, forçando o fígado e o estômago a produzir ácido em excesso e levando à corrosão das paredes dos intestinos, o que provoca mutações cancerígenas, conforme explicou o oncologista suíço Fabio Levi, da Universidade de Lausanne. Outra suspeita é o enxofre das carnes, que é devorado pelas bactérias contidas no intestino – depois estas bactérias expelem substâncias tóxicas e malignas.
O amino-heterocíclico também é uma substância perigosa, ausente na carne crua, criada com a quentura da grelha ou da panela, formando o preto crocante dos churrascos e das frituras. “Os aminos acabam no interior das células, onde se ligam ao DNA e provocam mutações cancerígenas”, diz Barbara Pence, da Universidade Técnica do Texas, nos Estados Unidos. Ela demonstrou que esses compostos chamuscados em altas doses atacam o intestino, o estômago e os seios. Em contrapartida, substâncias presentes nas frutas, verduras e grãos dificultam o crescimento de vários tipos de câncer, agindo em combinação umas com as outras, conforme constataram pesquisadores dos EUA.

E onde está a proteína vegetal?
– No tofu (queijo de soja), encontra-se uma proteína completa de excelente qualidade, muito melhor que a da própria soja, que tem seus inconvenientes (vide Saúde Integral nº 4).
– No leite de soja, em vez do leite de vaca (o motivo é o fato do adulto não digerir bem a lactose, que é o açúcar do leite. O leite de vaca contribui para o envelhecimento precoce e inflamações, como gastrite e outras doenças. Ele foi feito para o bezerro, que tem uma constituição física diferente do ser humano). Já os derivados do leite de vaca, como coalhada, iogurte, queijos frescos e ricota, sem conservantes, transformados, semidigeridos por ação das bactérias, podem ser consumidos, pois têm digestibilidade mais fácil.
– Em sementes de girassol, gergelim, cogumelo, pólen de flores, ovos caipiras.
– Em sementes oleaginosas, como castanha, noz, avelã, pinhão, etc.
– Aveia integral, germe de trigo e levedura de cerveja também são fontes de proteínas.
– Frutas oleaginosas, como abacate e coco são ricas em proteínas; frutas doces e ácidas, assim como as verduras e a batata, contêm excelentes proteínas, embora em pequena quantidade.
– O arroz integral, juntamente com as leguminosas (lentilhas, grãos de bico, ervilhas, feijões etc.), sempre uma de cada vez, principalmente leguminosas frescas ou em brotos, formam os doze aminoácidos essenciais, a proteína completa. A proteína vegetal tem a vantagem de vir acompanhada de vitaminas e sais minerais, além de enzimas e outros nutrientes, que facilitam o aproveitamento pelo organismo e dão efeitos alcalinizantes.
Entenda isso: uma pessoa que faz uma alimentação saudável e tem um corpo equilibrado, fará uma transmutação de substâncias, isto é, se a pessoa come bastante cálcio e necessita de proteína, seu corpo transforma um no outro, segundo a teoria do Professor Mario Sanchez, como demonstra em seu livro “Medicina Nutricional”.
Existem estudos afirmando que o ser humano necessita apenas de um grama de proteína por quilo de alimento (proteína vegetal, que não gera toxinas), e o excesso (as pessoas costumam comer 100 vezes mais) sobrecarrega o fígado (órgão responsável pelo catabolismo do aminoácido em uréia e outros produtos) e os rins, que terão de eliminar os resíduos do catabolismo (destruição) dos aminoácidos, com conseqüente sobrecarga de todo o aparelho digestivo, assim como da pele e dos pulmões, que também são órgãos de eliminação.
Na mudança alimentar, é importante ir tirando devagar, primeiro as carnes vermelhas, depois as brancas, para depois se tornar um vegetariano; o tempo necessário é individual. Consulte um terapeuta para orientar-se melhor. Respirações profundas, caminhadas e pequenas exposições ao ar e ao sol fazem parte de uma boa alimentação.
Se tudo o que foi dito não lhe convenceu da necessidade de usar a proteína vegetal, lembre-se da vibração negativa na hora de matar um animal, dos gritos, das dores e da tristeza que ele vive naquele momento, sendo que tudo isto fará parte da sua alimentação. Depois pense em como é saudável e agradável colher verduras, frutas e legumes, alimentos cujas vibrações são sutis e invisíveis, e que curam e alegram o nosso ser.
Luz!

Suzete é Naturopata, Iridóloga e Instrutora dos Exercícios Visuais. Autora do livro: Cuide de Seus Olhos

Contato: suzete@saudeintegral.com

Sites: www.saudeintegral.com, www.iridologiasp.com.br e www.metodobates.com.br