O pão e a oração

Pão e a oraçãoAlguns anos atrás, cuidávamos de uma loja de alimentos naturais. Quem fazia o pão e outras massas era “expert” na matéria, e seu trabalho atraía a vizinhança. Um belo dia, ele teve que viajar de repente, e ficamos sem ninguém para cumprir a tarefa. Ante essa conjuntura, não houve outra alternativa a não ser assumirmos a responsabilidade, sem nunca ter feito pão na vida! Colocamos as mãos na massa e entregamos os resultados a Deus.

Enquanto sovávamos o pão, púnhamo-nos a orar. Sentíamos que a oração era uma oferta de amor aos desconhecidos que o levariam. Grande foi a surpresa quando, algum tempo depois, percebemos que a clientela tinha mudado completamente. Pessoas vinham de diversos pontos da cidade, alguns bem distantes da loja, só para buscar o pão.

Havia uma senhora que vinha todos os dias, de longe. Um dia em que a vimos cansada, oferecemos-lhe um chá e conversamos. Ela então nos relatou que a filha de 15 anos estava com um câncer terminal e quase nada ingeria; a única coisa que solicitava era aquele pão. Ao ouvi-la, ficou para nós muito claro que no pão se imprimiam energias que abençoavam os que eram receptivos a elas. Profunda gratidão nos sobreveio quando percebemos esse efeito da oração… e agradecemos ao Único por ter permeado aquele pão com Seu Espírito!

O SEGREDO DE UM BOM PÃO ESTÁ:

– Na maneira de amassá-lo. Quando sovamos a massa, ela se transforma, vai tomando cor e textura diferentes, começa a responder ao nosso toque. Se o fizermos com atitude de entrega e amor ao Todo, ela a incorporará e a substância do pão, além de sabor, cor e aroma, adquirirá vida.

– Na sua fermentação. Não devemos apressar o processo de crescimento do pão. O ideal é deixá-lo crescer até que se formem pequenas bolhas na massa ou que ele atinja um volume maior e fique fofo. Para isso é preciso um período de 5 a 8 horas, a depender do clima.

– Na sua assadura. Se os pães forem preparados em forno, que seja baixo nos primeiros 20 minutos e depois alto até terminar de assar, o que gasta em média 45 minutos. Os climas e os fornos nunca são iguais, e por isso cada pessoa deve encontrar a maneira mais adequada às condições em que trabalha. Fazer pão é uma experiência viva, dinâmica. Prove-a.

Suzete é Naturopata, Iridóloga e Instrutora dos Exercícios Visuais. Autora do livro: Cuide de Seus Olhos

Contato: suzete@saudeintegral.com

Sites: www.saudeintegral.com, www.iridologiasp.com.br e www.metodobates.com.br